Como escolher o revestimento

Como escolher o revestimento
Como escolher o revestimento

"Para as salas e os quartos, o ideal são revestimentos que combinem com as tonalidades de madeira dos móveis", diz Thaís Paszko, arquiteta e coordenadora nacional de especificações da Gyotoku. A profissional indica os tons neutros como o branco, o off-white e o bege. "Aconselho produtos foscos, pois dão a impressão de aconchego, e peças grandes, nos tamanhos 40x40cm, por exemplo", completa. Para cozinha, Thaís também prefere as peças grandes. "Com produtos maiores há menos áreas de rejunte, ou seja, menos sujeira acumulada", explica. Uma dica interessante é usar rejunte à base de epóxi, uma substância plastificadora que evita o acúmulo de sujeira entre os pisos e azulejos. Quanto à cor, o branco continua sendo o mais procurado. "Ele dá um aspecto de limpeza, ideal para esse ambiente". Já o banheiro é o espaço da casa que mais permite inovações. "O banheiro é individual e o revestimento é o centro das atenções. São usadas cores das mais diversas tonalidades, de acordo com a personalidade do cliente", diz Thaís. Uma tendência se mostra nas dimensões do azulejo. "Antes eram usados os 15x15cm. Hoje as peças maiores são muito procuradas e colocadas principalmente na horizontal", conta. Para o banheiro e piscinas, a grande novidade são as pequenas pastilhas de vidro, que podem ser encontradas em diversas cores e dão um charme especial ao acabamento. Para crianças e idosos. Segundo a arquiteta Thaís Poszko, o ideal para evitar quedas de idosos e crianças é colocar pisos mais ásperos nos banheiros. Outra opção é aplicar um produto que libera micropartículas de titânio. "Mesmo em contato com a água, o piso não fica escorregadio. O bom é que dá para aplicar o produto sobre qualquer cerâmica", explica. A durabilidade é de cerca de cinco anos. Portanto, se você deseja evitar quedas e escorregões não precisa trocar o piso do ambiente. Basta aplicar a substância. Diferença entre cerâmica e porcelanato. "O porcelanato é um tipo de cerâmica produzida com matérias-primas nobres. Ele tem baixa absorção de água, maior resistência mecânica e menor dilatação térmica", esclarece Thaís. Devido sua maior durabilidade, é indicado principalmente para as áreas externas da casa. "É um piso para a vida toda", diz a arquiteta. Imitações. Algumas peças de cerâmica e porcelanato imitam outros materiais, como o couro, a textura de tecidos e o carpete de madeira. "Se a pessoa gosta do visual da madeira, mas não quer ter problemas com manchas, riscos e barulho, pode optar por cerâmicas que imitam o produto", explica Thaís. Fonte: Cerâmica Portinari Gyotoku

Mais dicas