Marcenaria planejada: cinco dicas para a compra perfeita

Marcenaria planejada: cinco dicas para a compra perfeita
Marcenaria planejada: cinco dicas para a compra perfeita

Sim, hoje é possível conquistar um mobiliário praticamente sob medida por um preço mais acessível. Damos o caminho das pedras para uma compra bem-sucedida: saiba o que pode baratear o projeto, veja como escolher uma loja de modo seguro abaixo, confira três histórias de quem optou pela marcenaria planejada e inspire-se em seis propostas de diferentes fabricantes, todas com preço.

1. Deve-se encomendar o projeto dos móveis quando se define a distribuição de tudo, "da iluminação aos eletrodomésticos", segundo Neto Porpino. Ao escolher a loja, leve a planta baixa, mas faça questão de que o projetista tire as medidas pessoalmente. Ele poderá sugerir soluções para encobrir uma viga, por exemplo. "Deixe essa responsabilidade com o profissional, pois um possível erro nessa etapa acarretará problemas na montagem", orienta Selma, do Procon-SP.

2. Peça orçamentos variando materiais e acessórios e bata o martelo na melhor proposta dentro de suas possibilidades e seus desejos.

3. Por qual chapa de madeira você optou: MDF ou MDP? Que medidas terá cada peça? Tudo isso precisa estar esmiuçado no contrato, bem como as especificações de dobradiças, puxadores e demais acessórios. Nesse documento ainda são informados os prazos de entrega e de montagem. "Se houver promoções envolvidas, como um cooktop de brinde, isso também vai para o papel", alerta Guilherme, da Bartzen. Já o nome do fabricante deve constar na nota fiscal.

4. Condicione o pagamento ao término do serviço. "Não pague à vista: divida no cartão ou dê cheques pré-datados", sugere Selma. "Negocie um pagamento gradativo. Se o estabelecimento negar, procure outro."

5. Caso o móvel venha na cor errada, apresentando falta de peças, ou seja mal montado, fale com a loja. Se o problema não for corrigido, procure o fabricante. "Esse contato também falhou? É hora de recorrer ao Poder Judiciário ou ao Procon de sua cidade", diz a diretora do Procon-SP. Em geral, a garantia dos planejados é de cinco anos sobre a resistência da madeira. "E damos 90 dias sobre defeitos aparentes", fala Guilherme. Mas há aqueles insuspeitos, os chamados vícios ocultos, como alerta Selma: "Nessas situações, o prazo de 90 dias para reclamar inicia quando você identifica o problema, como a infestação de cupins, que pode aparecer depois de algum tempo".

Olho vivo ao definir a loja

O setor é um dos campeões de reclamação. "As principais críticas dizem respeito a atraso na entrega e instalação malfeita", fala Selma do Amaral, diretora de atendimento do Procon-SP. Por isso, eleja uma loja que transmita segurança: veja se ela consta na lista de endereços do site do fabricante, converse com clientes e recorra a redes sociais, sites de busca e órgãos competentes.

Existem lojas exclusivas (só vendem uma marca) e revendas (comercializam até três). "Se preferir, solicite uma garantia por escrito ao fabricante de que o móvel será entregue. De toda forma, a montagem sempre cabe ao lojista", defende Ivo, da Movergs. "Outra maneira de se precaver é solicitar que o depósito seja feito diretamente na conta do fabricante."

Antes de fechar, consulte online

Para verificar a idoneidade de empresas de tipos variados e tornar as compras mais seguras, a Serasa Experian lançou em fevereiro deste ano um serviço online inédito. O interessado investe R$ 29,90 por consulta (uma só empresa) e recebe informações sobre a ocorrência de protestos, cheques sem fundo, ações judiciais, participação societária, faturamento, falências e a existência legal do estabelecimento. Essa ferramenta está disponível nos sites da Serasa Experian e do Reclame Aqui. Em ambos, basta preencher um cadastro com seus dados e adquirir a consulta como se fosse uma compra via internet. É necessário ter em mãos o CNPJ da empresa a ser pesquisada.

Fonte: Casa Abril

Mais dicas